Acerte no termo e no desempenho do pedal

bicicleta treino

A variedade de termos técnicos no vocabulário de fisiologia é grande, mas é importante compreender alguns que são fundamentais para a evolução do seu desempenho no pedal, sobretudo os que têm a função de balizar a intensidade nos treinos. Conversamos com dois renomados treinadores do cenário nacional do ciclismo, o paranaense Alex Arseno e o mineiro Ricardo Alcici, que explicaram a terminologia e a definição dos limiares que diferenciam os tipos de treinamento.

LIMIAR AERÓBIO (L1)

É uma zona de baixa intensidade, que compreende cerca de 70% do batimento cardíaco máximo. A partir do L1 o organismo começa a gerar lactato, resíduo químico associado à fadiga e proveniente do metabolismo do glicogênio muscular para produção de energia durante o esforço físico. Nesse nível de intensidade, no entanto, a quantidade de lactato gerada é reutilizada pelo organismo e por isso não interfere no rendimento durante o exercício. O trabalho nesta zona fisiológica é um importante alicerce do treinamento, normalmente executado no período de base.

LIMIAR ANAERÓBIO (L2)

Quando a intensidade do treino aumenta, o organismo passa a gerar uma quantidade de lactato maior do que é capaz de reabsorver. O L2 é o limite do equilíbrio entre a produção e remoção deste subproduto do exercício. Acima desse limiar há um desequilíbrio e consequente acúmulo de lactato no organismo, o que contribui para a fadiga muscular. Identificando-se o Limiar Anaeróbio, é possível determinar o nível de esforço que o atleta consegue manter sem “quebrar”, parâmetro fundamental para a realização de treinos de alta intensidade, como intervalados, por exemplo.

LIMIAR FUNCIONAL DE POTÊNCIA (FTP)

Significa a potência máxima que um atleta consegue manter de forma constante por 1 hora, parâmetro que pode ser aferido por ciclistas que utilizam medidores de potência e possibilita determinar as zonas de intensidade para um correto direcionamento dos treinos, além de avaliar a evolução do atleta. Para descobrir este limiar, a sugestão é fazer um contrarrelógio de 20 minutos em intensidade máxima e constante e subtrair 5% da potência média obtida. O resultado será o seu FTP.

VO2 MÁX. (CAPACIDADE AERÓBICA OU L3)

O VO2 Máx. é a quantidade máxima de oxigênio que o organismo consegue absorver durante um exercício aeróbico. Atletas com elevada capacidade aeróbica conseguem desempenhar atividades de maior intensidade por mais tempo. Para aumentar o VO2 Máx., normalmente são prescritos treinos com tiros de alta intensidade, que varia de 105% a 120% do FTP. O L3 é normalmente aferido por meio do teste ergoespirométrico, que avalia o comportamento dos sistemas pulmonar e cardiovascular do atleta diante do esforço máximo, permitindo também determinar com maior precisão as zonas de treinamento do L1 e do L2.

(Reportagem publicada na revista VO2, edição #110 de Junho/Agosto de 2015)

Fonte: Prólogo

Deixe um resposta

Patrocínio